Compreendendo a licença do Visual Studio Community Edition

43

Recentemente, a Microsoft lançou uma versão gratuita do Visual Studio: Visual Studio Community Edition

a licença diz

IF YOU COMPLY WITH THESE LICENSE TERMS, YOU HAVE THE RIGHTS BELOW.

  1. INSTALLATION AND USE RIGHTS.

a. Individual license. If you are an individual working on your own applications to sell or for any other purpose, you may use the software to develop and test those applications.

b. Organization licenses. If you are an organization, your users may use the software as follows:

· Any number of your users may use the software to develop and test your applications released under Open Source Institute (OSI)-approved open source software licenses.

· Any number of your users may use the software to develop and test your applications as part of online or in person classroom training and education, or for performing academic research.

· If none of the above apply, and you are also not an enterprise (defined below), then up to 5 of your individual users can use the software concurrently to develop and test your applications.

· If you are an enterprise, your employees and contractors may not use the software to develop or test your applications, except for open source and education purposes as permitted above. An “enterprise” is any organization and its affiliates who collectively have either (a) more than 250 PCs or users or (b) more than one million US dollars (or the equivalent in other currencies) in annual revenues, and “affiliates” means those entities that control (via majority ownership), are controlled by, or are under common control with an organization.

c. Demo use. The uses permitted above include use of the software in demonstrating your applications.

d. Backup copy. You may make one backup copy of the software, for reinstalling the software.

Como um "Indivíduo", estou interessado na cláusula "a", mas não é tão claro e explícito. para mim soa um pouco restritivo, pois não cobre uma ampla gama de uso (código aberto, trabalho freelance, contribuição para aplicativos que você não possui, etc), a confusão vem exatamente do termo ' OWN 'usado na sentença, Eu posso estar interpretando mal a coisa toda, já que o inglês não é minha língua nativa. Então, como você interpretaria a sentença? Podemos supor que podemos usar um software se a licença não esclarecer, por exemplo "não é permitido usá-lo neste ou naquele senario" como para "Empresas" na cláusula "b"?

    
por anouar.bag 16.11.2014 / 00:09
fonte

2 respostas

39

Parece que o tamanho do seu cliente é importante.

De Visual Studio 2013 e Whitepaper de Licenciamento MSDN - Novembro-2014 página 10:

"Exemplo 2: Uma empresa da Fortune 500 terceirizou o desenvolvimento de seu aplicativo móvel localizador de lojas para uma pequena agência. O aplicativo não é um projeto de código aberto. A agência tem cinco funcionários trabalhando no projeto e gostaria de usar o Visual Studio Community 2013. Como a agência é uma contratada que desenvolve esse aplicativo para a empresa Fortune 500 e como o aplicativo não é um projeto de código aberto, a agência não pode usar o Visual Studio Community 2013 para desenvolver e testar o aplicativo. "

Assim, sua pequena equipe não pode desenvolver aplicativos personalizados para grandes empresas. Não sei o que acontece com aplicativos em caixa. Não sei o que acontece com "individual".

Fiz mais pesquisas e parece que pequenas equipes podem vender aplicativos criados com o VS2013Comm. Não há restrições no EULA que possam comprá-lo . Eu acho que as palavras-chave são vender e terceirizar . Quando você vende, ainda é seu aplicativo. Enquanto terceirização, geralmente o aplicativo não é seu, mas os clientes. Essa é a minha história e eu estou aderindo a isso. Deixe-me saber se você acha que estou errado.

    
por 17.11.2014 / 20:17
fonte
5

Cláusula (a): "... trabalhando em seus próprios aplicativos ..." O exemplo citado por Dudley é uma situação em que a pequena agência está criando o que é conhecido como "trabalho contratado" - o trabalho em questão pertencerá à empresa da Fortune 500. Normalmente não é o "próprio aplicativo" da pequena agência. A agência não pode, por exemplo, vendê-lo ou distribuí-lo em esquinas ou abrir código-fonte - porque o trabalho criado pertence à empresa Fortune 500. Observe que isso ainda seria verdade se a empresa terceirizasse o trabalho para a pequena agência fosse uma pequena empresa. A lei dos EUA é clara nessas situações: trabalhos que normalmente seriam de propriedade de seus criadores são de propriedade da empresa terceirizada. O tamanho da empresa de terceirização não é o fator de controle. É a natureza do relacionamento de terceirização. (As mesmas regras de propriedade prevalecem quando você concorda em fazer um trabalho de desenvolvimento para uma empresa como contratada temporária.)

Para que a pequena agência reivindique a obra como sua - e, portanto, possa argumentar que a cláusula (a) se aplica - ela deve ter uma cláusula em seu acordo contratual com a empresa que especifica que a pequena agência retém propriedade do software e outras propriedades intelectuais que cria durante o trabalho. Também pode incluir uma cláusula que concede à empresa um direito irrestrito e perpétuo de usar o software para suas operações internas e / ou disponibilizá-lo para uso por seus clientes como um localizador de loja móvel.

Esteja ciente de que a maioria das empresas não concorda prontamente em deixar a propriedade da propriedade intelectual com o desenvolvedor, e a maioria dos outros desenvolvedores que concorrem para a empresa não solicitará tais termos.

    
por 20.11.2014 / 19:53
fonte