Existem casos do mundo real para C ++ sem exceções? [fechadas]

40

Em Quando usar C sobre C ++ e C ++ sobre C? existe uma declaração sobre. ao código de tamanho / exceções C ++:

Jerry responde (entre outros pontos):

(...) it tends to be more difficult to produce truly tiny executables with C++. For really small systems, you're rarely writing a lot of code anyway, and the extra (...)

para o qual eu perguntei por que isso seria, ao que Jerry respondeu:

the main thing is that C++ includes exception handling, which (at least usually) adds some minimum to the executable size. Most compilers will let you disable exception handling, but when you do the result isn't quite C++ anymore. (...)

que eu realmente não duvido em nível técnico real do mundo.

Portanto, estou interessado (apenas por curiosidade) em ouvir de exemplos do mundo real em que um projeto escolheu o C ++ como uma linguagem e, em seguida, optou por desabilitar exceções. (não apenas "não usar") exceções no código do usuário, mas desative-as no compilador, para que você não possa lançar ou capturar exceções.) Por que um projeto escolheu fazer isso (ainda usando C ++ e não C, mas sem exceções) - quais são / eram os razões (técnicas)?

Adendo: Para aqueles que desejam elaborar suas respostas, seria interessante detalhar como as implicações de nenhuma exceção são tratadas:

  • Coleções de STL ( vector , ...) não funcionam corretamente (falha de alocação não pode ser relatada)
  • new não pode lançar
  • Os construtores não podem falhar
por Martin Ba 10.10.2011 / 17:37
fonte

0 respostas