Licenciamento GPLv3 e aplicativos da Web Software-as-a-Service [duplicados]

5

Estou tentando descobrir de uma vez por todas como a GPLv3 interage com aplicativos da Web, especificamente aplicativos SaaS. Não consegui encontrar uma resposta concreta sobre isso.

Digamos que eu tenha um aplicativo da web SaaS para o qual os usuários podem adquirir uma assinatura e acesso mensais. O código-fonte é não distribuído ou disponibilizado aos clientes de qualquer forma e forma e sua única interação é por meio do website e de quaisquer APIs que eu forneça por meio de serviços da Web.

Se eu estiver usando uma biblioteca de terceiros licenciada sob a GPLv3 , digamos que um kit de ferramentas de UI como o "KendoUI" da Telerik (cuja versão de código aberto é licenciada sob a GPLv3), então necessário fornecer o código-fonte para o meu aplicativo da Web (e, portanto, com efeito, torná-lo inútil para vender, pois o código-fonte estaria prontamente disponível)?

Estou ciente de que o Affero GPL faz exigir isso e foi especificamente criado para fechar a "brecha" em que você poderia usar bibliotecas de código aberto em um aplicativo da web e nunca precisar liberar sua própria fonte código (que IMO meio que anula o propósito de um aplicativo da web, mas nem aqui nem lá), mas não parece que a licença padrão da GPLv3 tenha essa cláusula (na verdade, parece ter sido removida especificamente por causa da reação adversa isso causaria).

Esse entendimento está correto? Em outras palavras, a menos que eu queira abrir o código do meu aplicativo proprietário, eu deveria evitar qualquer coisa usando o Affero GPL, mas a GPLv3 e outras são boas, já que a "lacuna" ainda existe dentro delas?

    
por Wayne Molina 06.09.2013 / 03:46
fonte

0 respostas