Estudos sobre como o ruído afeta a produtividade de programadores [fechados]

79

Alguém tem algum link para estudos que mostram como o ruído afeta a produtividade dos programadores? Especificamente, gostaria de ver como / se a produtividade aumenta quando os níveis de ruído diminuem.

Como apontou nos comentários , a natureza do fluxo de trabalho de programação é tal que você entra e sai de foco o tempo todo - por isso é provável que seja afetado pelo ruído de maneira diferente de outras linhas de trabalho.

A razão pela qual eu acho que isso é específico do programador é que eu também estou interessado em matemática. Em um lugar barulhento, se eu começar a pensar em matemática, o barulho vai embora e eu me vejo perdido em um mundo de fotos. Na verdade, meu lugar favorito para fazer matemática era sempre o Café Copper Kettle, um lugar turístico movimentado.

Para programação é completamente diferente. Ao programar, geralmente estou pensando verbalmente, e qualquer conversa que destrua minha linha de pensamento. Eu sou literalmente incapaz de programar em qualquer lugar onde haja conversas audíveis.

Eu conversei com outros programadores que nem notam o ruído que me desativa, e eles dizem que pensam principalmente em imagens. É por isso que estou me perguntando se há algum estudo acadêmico real sobre se a programação é particularmente afetada pelo ruído em comparação com a matemática ou a advocacia.

    
por John Lawrence Aspden 02.02.2012 / 11:09
fonte

2 respostas

56

O livro Peopleware tem vários capítulos que abordam o assunto. Você pode ler um resumo decente aqui .

Estudos liderados por Tom DeMarco & Timothy Lister mostrou resultados estatisticamente significativos sobre a correlação entre ruído e defeitos.

Aqui está uma parte interessante do resumo:

Workplace Quality and Product Quality - Companies that provide small and noisy workplaces explain away complaints as workers campaigning for the added status of bigger, more private space. To determine whether noise level had any correlation to work, we divided our sample into those who found the workplace acceptably quiet and those who didn't. Then, looking at workers within each group who completed the entire exercise without a single defect:

> Workers who reported that their workplace was acceptably quiet before
the exercise were 1/3 more likely to deliver zero-defect work.

As the noise level gets worse, this trend gets stronger:

  • Zero-defect workers: => 66% reported noise level OK
  • 1-or-more-defect workers: => 8% reported noise level OK

A Discovery of Nobel Prize Significance - On February 3, 1984, in a study of 32,346 companies worldwide, the authors confirmed a virtually perfect inverse relationship between people density and dedicated floor space per person. If you're having trouble seeing why this matters, you're not thinking about noise. Noise is directly proportional to density, so halving the allotment of space per person can be expected to double the noise. Even if you managed to prove conclusively that a programmer could work in 30 sq. ft. without being hopelessly space-bound, you still wouldn't be able to conclude that 30 sq. ft. is adequate space. The noise in a 30 sq. ft matrix is more than triple the noise in a 100 sq. ft. matrix, which could make the difference between a plague of product defects and none at all.

Verifique o resumo, realmente, ruído é um dos assuntos recorrentes no Peopleware.

    
por 02.02.2012 / 12:02
fonte
22

A resposta típica a condições ruidosas é ouvir música com fones de ouvido.

No entanto, um dos realmente estudos interessantes citados no Peopleware é o experimento feito em Cornell - eles deram a dois grupos uma tarefa complicada envolvendo uma longa série de cálculos. Um grupo ouviu música enquanto realizava a tarefa e um grupo ficou em silêncio.

O que eles não disseram a nenhum dos grupos é que a sequência complicada de cálculos sempre retornava o número original.

Descobriu-se que nem todo mundo percebeu isso, mas das pessoas que o fizeram, a grande maioria veio do grupo que não ouvia música.

A teoria aparentemente é que ouvir música é, de alguma forma, envolver a parte do cérebro envolvida no pensamento criativo, mantendo-a "ocupada" o suficiente para não ser capaz de olhar para o quadro geral da tarefa que está sendo executada.

Algo que você deve ter em mente na próxima vez que fizer a conexão.

Procure no índice em "Cornell" para encontrar a referência.

    
por 03.02.2012 / 17:17
fonte